sábado, 19 de maio de 2012

O Cão Idoso


Muitas pessoas preferem adotar filhotes, pois acreditam que eles já têm hábitos formados e são inflexíveis a novos costumes.

Estão enganadas!!!
Vamos observar o cão adulto/idoso:
Algumas características de animais adultos:
  • Sua personalidade e temperamento são mais previsíveis;
  • Não há surpresas quanto ao tamanho do animal;
  • Muitos já vêm castrados;
  • São mais independentes;
  • Estão mais preparados para passar parte do tempo sozinho em casa;  
  • São geralmente mais tranquilos;
  • São muito resistentes;
  • O companheiro ideal para crianças e idosos;                                                                    

Tenho uma amiga que tirou um cachorro da rua,idoso!Ele foi muuito educado!Só fazia suas necessidades em partes externas da casa e  todas as características citadas são ainda mais evidentes por ter passado muito sofrimento, os cães se adaptam ao seu novo guardião e lar com rapidez e forte sentimento de respeito e gratidão.
            IDADE DE UM CÃO:
É diferente,uns acham que é x7,por exemplo.Vamos ver em diferentes lugares da Internet:
Tabela de equivalência entre cães e humanos
                          















Cada um tem uma opinião diferente,então não sabemos qual está certa ou errada!
                                                                                                


Texto do Pensamomentos

Porque adotar animais
                                                  Feito por www.pensamomentos.tumblr.com


Ei, você, calma ai! Eu sei o que você está pensando nesse exato momento, após ler o título desse texto. “Ih, lá vem mais um daqueles textos piegas e melosos sobre os animais”, não é isso? Mas pode relaxar, não é esse o caso. Tudo o que quero aqui é ter uma simples conversa. Sem dramas, sem exageros, sem preconceitos, só para fazer você pensar um pouco. Aceita o meu convite? Então vamos lá. Como ficou óbvio pelo título que você acabou de ler, quero falar um pouco sobre os motivos que me fazem afirmar que adotar um animal é muito, mas muito melhor do que comprar. Estou me referindo principalmente aos cães aqui, mas creio que o mesmo pode ser dito sobre qualquer outro animal, dadas as mesmas circunstâncias. O texto é um pouco longo, mas coragem! Me acompanhe um pouco!
Quero citar aqui diferentes aspectos que, na minha visão, tornam óbvio o fato de que a adoção é a melhor escolha - e acredito que você vai concordar comigo no final do texto. A primeira coisa vai ser logo uma das mais chatas: falar de dinheiro. Sendo curto e grosso, adotar faz bem ao bolso. Não é preciso ser muito entendido do assunto para saber que comprar um animal é algo bem caro. E, por motivos óbvios, ao se adotar um deles, o investimento é consideravelmente menor. Os abrigos e outros locais onde você pode adotar os animais não estão buscando lucro, e normalmente, fazem de tudo para ajudar os seus bichinhos a encontrarem uma boa família. Se você pensar de forma puramente matemática e racional, esse motivo já é o suficiente para se concluir que a adoção é a única opção viável.
Agora, vamos mudar um pouco a perspectiva. Ao invés da visão de quem quer um animal, vamos pensar no lado do próprio animal. Fazendo uma comparação: de um lado, temos um cachorro de uma loja de animais, famosa, bem localizada, com boa divulgação na mídia, e recomendação de clientes. Do outro, um cachorro em um abrigo, lotado de outros cachorros, que provavelmente foi abandonado, em um lugar esquecido, sem muito apoio ou divulgação. Qual desses dois cães tem a maior chance de ser adotado? E qual deles é, provavelmente, o mais carente? Foram perguntas retóricas, claro, sabemos qual deles tem mais chance. Sendo assim, porque não ajudar quem mais precisa de ajuda? Não pense nisso como uma imposição moral ou nenhum tipo de obrigação. Só quero que você perceba que se você tem a oportunidade, não custa nada fazer uma visita a algum abrigo!
Agora vamos ser honestos. A verdade é que quando buscamos um animal, não queremos “qualquer” animal. Sei que na maioria das vezes, quando alguém pensa em adotar um cachorrinho, pensa logo em um filhotinho, fofinho, de uma raça específica que provavelmente faz sucesso. E não vou aqui dizer que isso é errado ou um absurdo, seria até uma forma disfarçada de hipocrisia. Julgamos a nós mesmos e a outras pessoas pela aparência, pelo que possuem, por sua família, pelo seu emprego, e tantas outras coisas. Será que é mesmo estranho esperar que as pessoas que buscam um bichinho de estimação também tenham certos padrões? Não, não é. Tudo bem, não quero que você finja que essas coisas não tem importância. Eu sei que tem, mas quero que saiba das implicações que esses padrões tem, antes de decidir o que vai fazer.
A primeira coisa que muita gente pensa quando procura um cachorro é um cão que seja de uma raça específica. Existe até um debate sobre o que classificaria ou não um animal como sendo de uma certa raça, ou até que ponto as diferenças entre eles justificariam a criação de uma delas, mas isso não é tão importante. O ponto é que as pessoas gostam do “status” de ter um cão de raça, e até mesmo atribuem certas características a essa ou aquela raça. Ainda que isso seja verdade até certa proporção, ainda que cães de uma certa raça tenham determinados comportamentos, na maioria dos casos as expectativas vão muito além da realidade. Mas talvez as duas coisas mais importantes que podemos falar sobre as raças é como elas surgem, e o que isso representa para os próprios cães.
As raças dos cachorros são resultado de uma seleção artificial feita pelo homem. Forçando o cruzamento de animais que possuem ou não certas características, após um certo número de gerações temos animais com um perfil visível. Altos, baixos, magros, com muito pelo, ou o que for. Quando você compra um cão de raça, o que você está fazendo é, na verdade, dar suporte a uma indústria que vive disso - que vive em cima do status dessas raças. Muitos cães são criados simplesmente para desempenhar a função de reprodutor, e “produzir” filhotes que serão vendidos nas lojas de animais. Não peço que você acredite em minhas palavras, pelo contrário, quero que pesquise um pouco sobre o assunto. Você vai se surpreender com a forma que muitos cães de raça são tratados! Enquanto as pessoas valorizarem esse tipo de coisa, vão existir aqueles que irão se aproveitar disso.
Justamente por causa da seleção artificial, e do tipo de cruzamento que é feito para que uma raça apareça, esses cães costumam ter doenças bem específicas. Pugs sofrem com frequentes problemas respiratórios; poodles costumam ter problemas com catarata; e assim por diante. Ironicamente, são os cães que chamamos de vira-latas (chamados também de SRDs, ou “sem raça definida”) que costumam resistir mais, crescerem com menos problemas de saúde, e se adaptar mais facilmente. Isso acontece porque suas características são selecionadas de forma natural, e a sua variabilidade genética os favorece. Como antes, digo que você não deve necessariamente confiar em mim, pode perguntar a qualquer veterinário sobre as doenças crônicas das raças. Mas é verdade que adotar um cão sem raça é, ao menos nesse sentido, a melhor escolha que alguém pode fazer!
Outra coisa que é bem comum quando se vai buscar um bichinho de estimação, é querer um animal ainda filhote. Entendo perfeitamente essa vontade, até porque, somos instintivamente atraídos por bebês. Assim como despertam em nós a vontade de cuidar e proteger, um filhote provoca o mesmo efeito. Não vou dizer que você precisa ignorar isso, mas acho que posso destacar algumas coisas para que você veja os cães adultos de outra forma. A primeira é justamente algo sobre esse efeito que os filhotes causam - já que eles são tão atraentes, quem tem mais chance de ser adotado? Então, não digo que é errado gostar dos filhotinhos, mas você pode dar uma chance aos outros cães. Quem sabe eles não te surpreendem também? Se você realmente perceber que não iria querer de forma alguma um cachorro mais velho, tudo bem, isso não faz de você uma pessoa melhor ou pior. Mas faça o teste!
Além disso, filhotes são muito mais complicados do que parecem. Assim como crianças, eles ainda são ansiosos, nervosos, curiosos. Vão roer qualquer coisa que encontrem pelo caminho, se enfiar em todos os buracos que encontrarem, vão precisar aprender onde e que horas devem fazer xixi, e precisam de atenção o tempo todo. Cachorros já adultos costumam ter um temperamento mais calmo, se adaptam com mais facilidade ao dono, e também possuem alguma noção sobre que tipo de comportamento é o certo. Se você não está preparado para aguentar todo o caos que um filhote pode provocar em sua casa, é melhor pensar duas vezes. Afinal, assim como pessoas de todas as idades gostam de carinho e atenção, eles também são carentes, também estão a espera de uma família, de alguém com quem possam conviver!
E… Enfim! Não foi tão difícil assim, foi? Não pretendo com esse texto mudar radicalmente a forma que você pensa, tudo o que eu quero é que ao menos uma única pessoa - talvez seja você, um amigo seu ou algum desconhecido na internet que acabou recebendo ele… Quem quer que seja, pense um pouco sobre isso. Que ao menos um cachorrinho que está esperando em um abrigo encontre um novo lar. Se isso realmente acontecer, todo o tempo que eu investi nesse texto valeu a pena, e sinto que fiz a minha parte. E você? Se nada do que eu falei até aqui te convenceu, tudo bem! Mas se você acha que alguém iria se interessar pelo que tenho a dizer, peço que por favor, mostre esse texto para tal pessoa.
Obrigado pela sua atenção, e por me acompanhar até aqui!

sábado, 7 de abril de 2012